Buscar: Em:
like M3 29
 

  
  
25/10/2016

Acaba de surgir mais uma marca nacional de bicicletas. A Like Bikes foi criada para, inicialmente, complementar os modelos da linha Orbea no Brasil, conhecida marca espanhola de bicicletas, com mais de 175 anos de história e representada no país pela família Anderson, que atualmente disponibiliza modelos intermediários e top de linha. Entre as inúmeras conquistas da marca, ainda na onda dos Jogos Olímpicos do Rio, destaque para a canadense Catharine Pendrel, medalhista de bronze no XC com a nova Alma. 


Para quem está começando no mundo das bikes e não conhece a família Anderson, saiba que ela é totalmente engajada no esporte e no segmento, sendo três irmãos envolvidos em inúmeras atividades, como no comércio varejista, em eventos esportivos no Brasil e no mundo, no desenvolvimento de produtos, comentando em programas de TV e várias mídias, além da mencionada representação da Orbea. 


A Like chega com seis modelos, sendo quatro de MTB e dois de estrada. Para o MTB tem a M1 (21 velocidades), M2 (24V), M3 (27V) e M4 (30V) – todas aro 29 polegadas e com amortecimento dianteiro. E para a estrada, a R1 (Shimano R070) e R2 (Shimano Claris). Os modelos são desenvolvidos no Brasil e fabricados na Ásia, assim como faz a grande maioria das marcas de bicicletas.


“A Like vem mostrar e provar um novo conceito de bicicletas de entrada e intermediárias, para o público deseja se aventurar em trilhas e estradas. A geometria de cada modelo e para cada tipo de uso foi delicadamente estudada. Por exemplo, os modelos de entrada possuem ângulos menos agressivos, já os modelos com quadro e equipamentos mais elaborados possuem ângulos mais agressivos, principalmente o da caixa de direção, que se traduzem em mudanças de direção com mais precisão. Os conceitos para os modelos de estrada são os mesmos, ou seja, quanto mais alto o nível, mais ‘racing’ é a geometria; e quanto mais básica, menos agressiva”, informa Celso Anderson.


A linha, desenvolvida pela experiência de quem pedala, é totalmente nova. E a própria Like, com Celso novamente à frente, enumera os pontos fortes principais:


1-  Geometria estudada através de anos de experiência da família Anderson em competições nacionais e internacionais; 


2 - Robustez e durabilidade do conjunto, praticamente inquebrável; 


3 - Garantia vitalícia para quadro;


4 - Assistência técnica imediata para o território nacional;


5 - Grafismo limpo e bonito e acabamento no mesmo nível das melhores e mais conceituadas marcas do mundo;


6- Desenvolvimento constante de novos produtos e modelos.


“A finalidade da Like é oferecer um produto para o consumidor brasileiro, mountain biker ou ciclista eventual, que quer ter o melhor custo-benefício em uma bicicleta de alumínio. São bicicletas de nível intermediário, segundo classificação do mercado brasileiro. Hoje, os produtos da Like Bikes iniciam em 1.790 reais, preço sugerido do modelo M1”, acrescenta.


Antes de apresentar o modelo, é preciso parabenizar a iniciativa da família Anderson. Face a situação política e econômica que nosso país enfrenta, a família investe no segmento com uma proposta bem clara, e isso é muito bom para qualquer negócio. 


M3 - Recebemos para teste o modelo M3 – o mais simples é a M1. Se a M4 é para quem quer iniciar no MTB XCO, a M3 possibilita o mesmo, com componentes um pouco mais simples, barateando o preço final em cerca de 20%, o que é muito para esse padrão. A M3 se sai muito bem em missões urbanas também.


Os modelos “M” estão disponível em apenas dois tamanhos: 17 e 19 polegadas. A geometria da M2, M3 e M4 são idênticas: tubo do selim com 73º, tubo da caixa de direção com 70º, tubo superior (projeção horizontal) com 595 mm (tamanho 17”) ou  615 mm (tam. 19”), seatstay com 445 mm ou 483 mm, nos respectivos tamanhos, chain stay com 445 mm em ambos os tamanhos e tubo da caixa de direção com 120 mm.


No primeiro contato, chamou a atenção a discrição do grafismo, de bom gosto, desenho atual do quadro em alumínio, sua aparente robustez, com tubos de diferentes formatos e soldas aparentes bem acabadas e reforços nos locais de maior solicitação, chain stays curvos, freios hidráulicos a disco (Shimano) e trava na suspensão SR Suntour, este com 100 mm de curso, trava e ajuste de pré-carga da mola. 


As manoplas são macias e há mostradores de marcha para as três opções de coroas (44/32/22 dentes) e para as 9 velocidades no cassete, de 11-32 dentes, facilitando a vida dos novos aventureiros. Os câmbios são Shimano Altus e o pedivela é Impulse, da Prowheel. O cockpit é todo Like, assim como o selim e seu canote. Boa parte do conforto vem dos pneus de 29” da Kenda, com 2.1 polegadas de largura, montados em aros da Like e cubos da Quando.


Para tudo isso, o preço sugerido é de 2.990 reais, um ótimo custo-benefício.


Em ação - Como a própria Like classificou a M3 como “cumpridora de missões urbanas”, colocamos o modelo à prova. Allan Silva, mais uma vez pôde testar por alguns dias a novidade no trânsito pesado de São Paulo, e ele rapidamente a avaliou, sem hesitar.


“Gostei da M3, principalmente pelo custo-benefício. A achei bonita e discreta, e gostei da suspensão dianteira, que funciona muito bem nas imperfeições do asfalto de São Paulo, e também do funcionamento dos freios a disco. A geometria deixa o conjunto ágil nas mudanças de direção e as trocas de marchas funcionam perfeitamente. O conjunto é rígido, mas as arrancadas são um pouco prejudicadas pelo seus 15,55 quilos. Particularmente, rapidamente me adaptei à M3, e assim que ela embala, mantém a velocidade sem maior esforço. Também gostei do posicionamento, bem confortável, apesar de alguns colegas que não pedalam diariamente reclamarem um pouco da dureza do selim. Para quem pretende utilizá-la diariamente no trânsito pesado, talvez um guidão um pouco menor ajude na hora de enfrentar os retrovisores dos carros, nos locais onde não há espaço específico para as bikes, sem prejuízo do controle”, avaliou Allan.


Nosso piloto de testes Alex Constrâncio também pedalou a M3 e nos passa sua impressão: “A Like é uma nova opção no mercado. O modelo  simples. A M3 é para iniciantes do mundo fora de estrada. Pedalar a M3 é bem divertido. É boa para passeios trilhas leves e até algumas viagens. Tenho certeza que ela é muito confiável para essas condições, além de ter opções de marcha para todas as situações. O quadro tem geometria bem ajustada, além de um conjunto estável e de boa dirigibilidade, com um guidão largo oferecendo bom controle. Também achei muito boa a tração nas rodas, principalmente nas subidas. Não andei muito em estradões de terra batida, mas por ter traseira curta, notei que ela mantém a velocidade, desde que o piloto consiga manter a potência nos giros”.


Chassi


Quadro: Like M3, alumínio (6061), movimento central Neco B910, selado


garfo: SR Suntour XCT HLO-DS29, 100 mm de curso, com trava


AMORTECEDOR TRASEIRO: ND


Cockpit


Freios: Shimano M355, hidráulicos a disco, rotores com 160 mm  de diâmetro  


Guidão: Like, alumínio, 720 mm  


Mesa:  Like, alumínio, 31,8 mm 


Selim: Like


CANOTE: Like, alumínio, 27,2 x 400 mm


PEDAIS: Feimin 


rodas


aros/CUBOS: Like / Quando Disc


Pneus: Kenda, 29 x 2.10”  


transmissão


Pedivela: Prowheel Impulse, coroas com 44/32/22 dentes


Câmbio Diant.: Shimano Altus M370, 3V


Câmbio tras.: Shimano Altus M370, 9V


Cassete: Shimano HG200, 9 velocidades, 11-32 dentes 


plus


Tamanhos: 17” (testado) e 19”


Garantia: vitalícia p/ o quadro (1º dono); 1 ano p/ componentes


Peso: 15.550 kg (tam. 17”)


Preço sugerido: R$ 2.990


contato: www.likebikes.com.br


palavra 


do biker


alex constâncio


 


 


“É uma bike muito legal, divertida e com ótima dirigibilidade. Acho muito bom haver mais uma nova opção de marca nascendo no mercado. Seja bem-vinda, Like!”



Fotos
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  

Deixe seu comentário sobre a notícia

Seu nome/apelido:
Seu comentário:
Digite o que você vê na imagem abaixo: *
   

 
Revista Dirt Action
Revista Moto Action