Buscar: Em:
corratec sh1
 

  
  
08/09/2016

Faz quase um ano que tivemos a oportunidade de conhecer a linha 2016 e as instalações da Corratec, na Alemanha. Na ocasião, Idário Café representou o editor da Bike Action no evento comemorativo de 25 anos da marca alemã, que mescla sua história com a da família Irlbacher, e produz bicicletas de excelente padrão de qualidade, dedicadas exclusivamente à fatia premium. 


Presente em mais de 50 países, fazem questão de anunciar que o design, a engenharia e a qualidade são alemãs. Os centros de pesquisas, desenvolvimento e design, assim como boa parte da produção, estão baseados nos Alpes da Bavária, próximo da fronteira com a Áustria, região perfeita para o desenvolvimento de produtos.


No Brasil, através da Relm Bikes, a Corratec segue seu trabalho de conquistar mais espaço, sendo o lendário Marcio Ravelli um dos embaixadores da marca. E se ao longo da breve história no país, que começou em 2014, ela está cada vez mais presente nos pelotões de ciclismo e grupos de mountain bike, desta vez recebemos para teste uma bike urbana, a Shape SH 1.


O modelo faz parte da linha City/Trekking da marca, que se subdivide em quatro: C-29er, City, Shape e Gravel. No Brasil, a Relm Bikes disponibiliza vários modelos urbanos, principalmente da City e C-29er, inclusive modelos femininos.


“A palavra ‘shape’, em inglês, quer dizer ‘em forma’ em português. A SH 1 é uma bicicleta voltada para o uso diário, mas também proporciona grande performance para treinos mais fortes, podendo ser utilizada tanto para deslocamento como para se exercitar”, define Rodrigo Boragina, gerente comercial da Relm Bikes.


Sabemos que cada vez mais os produtos são desenvolvidos para fins específicos. A versatilidade é importante, mas sempre encontramos mais jeitos de curtir um mesmo produto. Com bikes urbanas acontece o mesmo. “Pelo que podemos ver do mercado, as bicicletas urbanas são cada vez mais aceitas pelo público”, completa Rodrigo.    


Ao recebermos a Shape SH 1, a primeira impressão de todos foi que o modelo é muito elegante e discreto. Nada de pinturas ou cores chamativas, há apenas alguns detalhes em vermelho, de bom gosto. Portanto, o estilo vai ficar por sua conta, no visual e no comportamento. 


O quadro Corratec SH 1 é de alumínio, bem rígido, e sua geometria é totalmente voltada para o uso urbano. O guidão é flat, o que garante certo conforto ao condutor. No entanto, o posicionamento do ciclista nesta bike não é totalmente de conforto, como veremos mais para a frente.


Guidão e mesa são da marca ZZYZY, da Corratec. O modelo que recebemos veio com pedais robustos (não acompanham o modelo), com bom grip e parecendo ser resistentes, mas quem é mais envolvido no meio deverá trocá-los. O selim confortável também é da marca alemã, e completa os pontos de contato.


Sem qualquer sistema de amortecimento, as fugas das armadilhas que estão nas ruas serão parte da diversão de pilotar a SH 1. 


As bonitas rodas ZZYZX são calçadas com pneus Sport Contact, da Continental, específicos para uso urbano, indicado inclusive para quem usa bikes fixas. Combina conforto e velocidade, e quando disse ser específico, é porque a Continental anuncia que o modelo é durável e seguro, digo com tecnologia antifuro, para essas condições. Aliás, o modelo é muito bonito.


Todo o resto é Shimano, como os discos de freio e o grupo Alfine, que inclui cubos, pedivela com coroa única de 39 dentes, câmbio traseiro, trocador rapid fire plus e pinhão de 18 dentes. A transmissão de 8 velocidades é o diferencial desta bike. O sistema não é novidade e recebe muitos elogios. Totalmente diferente de um sistema convencional, um conjunto de engrenagens fica dentro do cubo. Entre suas vantagens, destaque para a suavidade e rapidez na troca, baixo ruído, robustez, baixa manutenção e durabilidade, pois não recebe água da chuva ou sujeira. Já entre algumas desvantagens, demora-se mais para tirar a roda traseira, pois não possui sistema rápido para (des)montagem. O sistema não é tão pesado e há até o grupo eletrônico (Alfine Di2).


Quem pedala todos os dias, independente das condições do tempo, deverá investir em para-lamas e, talvez, bagageiro, além de acessórios para iluminação. E está pronta para quem vai longe, pois tem espaço para duas caramanholas.


Em ação Alan trabalha na editora e muitas vezes utiliza a bicicleta como meio de transporte. Ele rapidamente se empolgou com a SH 1. “Costumo usar mountain bikes na cidade, mas gostei muito dessa bike. O ciclista fica um pouco inclinado para a frente, mantendo-o pronto para qualquer manobra, o que será prontamente atendido pela bike, devido à sua rigidez e geometria. Apesar disso, a achei confortável, com boas manoplas, selim macio e ótimos pneus. É verdade que é preciso estar atento aos buracos e às imperfeições do asfalto, mas a bike é muito ágil. Gostei do câmbio. Apesar de ter somente oito velocidades, não senti necessidade de mais marchas. Parece que sempre encontrei a marcha certa. As trocas são suaves, sem barulho. E como ela acelera. Ela é muito rápida. Tenho certeza que fui muito mais rápido com a SH 1. Talvez com uma MTB, eu escolho um caminho mais tranquilo, contando com a ajuda da suspensão dianteira para ultrapassar os obstáculos. Mas a SH 1 parece que pede velocidade, instiga o ciclista a encarar os obstáculos de outra maneira, e quando eles surgem, o melhor parece ser sempre acelerar”, conclui Allan.


Alex Constâncio, nosso piloto de testes de todo mês, também teve a oportunidade de pedalar a SH 1. “É uma bike simples e muito divertida. Troca de marchas (uma a uma) sem precisar pedalar, é muito confortável, tem ótimo acabamento e a achei muito bonita. Além disso, as rodas grandes facilitam a rolagem nas ruas da cidade. É voltada para passeios em qualquer hora e dia da semana, mas fazendo alguns upgrades, como para-lamas e bagageiros, torna-se uma boa bike para deslocamentos diários.”


Considerações finais O preço sugerido de 7.499 reais assusta para uma bike urbana, mas estamos falando de um produto diferenciado. A transmissão Alfine com oito velocidades é um diferencial, mas por si só não justifica o preço. A SH 1 é toda de alumínio, muito rígida e ágil. É rápida, mas com potentes freios a disco para diminuir a adrenalina. 


São 12.300 gramas de pura energia, e a SH 1 pareceu ser bem robusta para enfrentar os obstáculos encontrados na cidade. A diversão e a exclusividade, sim, não têm preço, e quanto maior a habilidade do ciclista, certamente maior será a diversão.


 


 


 


 


Chassi


Quadro: Corratec SH 1


garfo: Corratec SH disco


AMORTECEDOR TRASEIRO: ND


Cockpit


Freios: Shimano M355, rotores com 180 (diant.) e 160 mm (tras.) de diâm.


Guidão: ZZYZX, Alumínio, Flat bar, 620 mm  


Mesa:  ZZYZX 6 Series, 31,8 mm 


Selim: Corratec Sport


CANOTE: Twin Bolt, alumínio, 27.2 X 350


PEDAIS: ND


rodas


RODAs/CUBOS: ZZYZX 700c Disc / Alfine 8s


Pneus: Continental Sport Contact, 700c, 37 mm 


transmissão


Pedivela: Shimano Alfine HOLLOWTECH 2, coroa com 39 dentes


TROCADORES: Alfine SL-S7000-8, Rapid Fire Plus


Câmbio Diant.: ND


Câmbio tras.: Alfine SL-S7000-8


Cassete: SHIMANO ALFINE, 18 dentes


plus


Tamanhos: 44, 48, 52 (testada) e 56 cm


Garantia: Vitalícia para o quadro e 1 ano para componentes


Peso: 12.300 gramas


Preço: R$ ​7.499


contato: www.relmbikes.com.br


 


 


 


palavra 


do biker


 


alex constâncio


 


 


“Uma boa bike, divertida. Para passear e/ou ir para o trabalho ou escola. O sistema de transmissão funciona muito bem na cidade, onde se pedala em velocidades mais baixas.”



Fotos
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  
  

Deixe seu comentário sobre a notícia

Seu nome/apelido:
Seu comentário:
Digite o que você vê na imagem abaixo: *
   

 
Revista Dirt Action
Revista Moto Action